terça-feira, 30 de novembro de 2010

Distração


Há uma concentração
Manipulada pelo deus eu
Há uma compulsão
Concentração na distração
Imagens e sons
Luzes de néon
Um viver equívoco
Égide do espetacular
Movido pelo pó
Triste nó
Um subir e descer
Montanhas de ilusão
Morros de frustração
Depressão
Há uma excitação de instante
Choro constante
Percepção banal
Um subir e descer
Condenado a carregar
Pedras de um pecar
Feito Sísifo
Subir e descer
Preso ao castigo
Compulsão de repetição
Triste distração
Suportar o insuportável
O impalpável ser palpável
Endereço superior
O Deus que nos criou
Vejamos a sua imagem
Visões de felicidades
Sempre... sempre...

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Insofismável


Flor de papel
O beija-flor se ilude
O homem engana a muitos
E se engana
Imagem em Cera
Rascunho de um ser
Em veredas escuras
Sabe palavras de guerras
Se guiando por estrelas
Atitudes frias
Inquietações
Fala o que não vive
Vive e não fala
Alguém está chorando lá fora
Estou em minha hora
A Sofismar a verdade
Teoria, opinião, religião
A verdade é a vítima
Mundo cão
Solitário e solidão
Morte sem perdão
Mundo caos
Oráculos de fortunas
Escuridão...
O Insofismável
Ama em todas as circuntâncias
Em todas as línguas
Com todas as raças
O imultável o indescritível
O insondável
Preço de uma Vida
A leveza de uma paz
A certeza de todas as manhãs
O sol de todas as vidas
O Deus que se fez homem
O Insofismável ... eternamente...
Semente do amor
A quem se faz de jardim.
Conhecerá seu Insofismável perfume
Sentindo junto a ele
O verdadeiro existir.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Sabedoria


Não só o nome
Um querer saber
Que mundo pisar
Que teto viver?
Colo de um conforto
O leite da felicidade
A ingenuidade tão boa
Venho dos mistérios do eterno
A Caminho de um viver
No colo de minha mãe
Carinho, canções de ninar
Corro com meus olhinhos
Desvendo a luz das manhãs
Em meus brinquedos de paz
Saber sobre A Vida
O que ela me trás
Sobre o Caminho
O que ele me faz
Um nome não é tudo
As criaturas precisam saber
Não basta um humano nascer
Meu nome preciso valer
No reino dos pequeninos
Um lugar para todos
Que se fazem como Sophia
Sabedoria de Deus

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Real

Eu posso me tornar possível
Seu olhar irá dizer
Minha origem virtual
Possível em ser real
Se nutre em você
Este meu possível viver
Assim como na semente
Vejo uma árvore
Eu virtual em seu olhar
Eu real em seu sentimento
Correr um risco
Um fingir virtual
Um pior real
Uma indiferença
Nada sustentável
Eu posso me tornar possível
Semente, árvore, fruto
Que solo tu és ?
Quando bato em sua porta
Me recebes ou fazes silêncio
Realmente finges me ouvir
Ou virtualmente
Mentes
Cristão acepção
Gentis com os gentis
O Mestre não ensinou assim
Templos de amigos
Virtuais e não reais
Ao homem natural tudo é possível.
Não mais a imagem de Deus.