segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Em vermelho


Há muitos em vermelho
Gerações em vermelho
Há uma justiça em vermelho
O sangue dos inocentes
A febre de muitos em vermelho
Crianças, idosos, vidas em vermelho
Uma dívida não paga
Séculos, e séculos...
Mundo de caçadores
Mundo de acumuladores
Caçadores de gente
Senhores de inventos
Monumentos tijolos de sangue
Artérias que não se estancam
O mundo não se sustenta
Bebe de um circo
Migalhas de pão
Sabemos o que nos afeta
Um novo chip...
Filas nos shopping
Inventos piratas
Coisas da China
Velocidade da luz
Ufa! estamos no vermelho
Silicone não esconde
O rosto do cruel caçador
Até no fundo do mar
Insano consumo
Insosso pré sal
Quando virão os jardineiros ?
Com suas sementes
Cultivar os frutos do bem
Os pássaros e os lírios do campo
Sabem como comer
Como se vestir
Lições do Filho do homem
Querem começar ?

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Embrisar


Um vento calmo conduz
Eu, o mar e meus versos bronzeados
Sem a sua presença...
Corpos e versos pálidos
O sol não se faz poesia
Só uma canção de lamento
Pôr do sol solitário
Não é belo, não há arte
Não é luz, não há líquido
Sem você tudo é concreto
Choro um chumbo pesado
Sinto sede das ondas
Beber de sua presença
Maquiagem, de corpo salgado
Conversas de namorado
Brisa e brasa não se apagam
Dunas que se movem
Levam nosso amor
Sempre que o mar embrisa
Ele me trás você
Em um crepúsculo...
Com sabor de beijo
Grão de areia
Em minha pele
Não dá pra esquecer...

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Ler


Pergunte-se...pergunte-se !
O que significa ler?
Um livro frente aos olhos?
Para muitos é isto, infelizmente
Um livro, um verso, uma frase
Em frente aos olhos não é nada
Estamos armados até os dentes
Internamente em guerras...
Precisamos nos desarmar
Com esta qualidade de coração...
Resultado de medo, raiva
Resultado de inveja e da ganância
Não se pode ler... somos ignorantes
Não é possível ...não se ler
Há um grande abismo
Pobres e ricos...
Pergunte-se... Pergunte-se
Que os são?
Quem deveria sentir vergonha
Não é o pobre mas quem cria pobreza
O intelectualismo precisa ler
Não apenas as palavras
Ler o rosto, as emoções
Ler o chão onde se planta
Tudo pode ser páginas
A África e sua fome...
Fomos exilados da atualidade
E por inerência ...
Fomos expulsos do futuro
Pergunte-se o que estamos lendo?
Se for esperança de vida
Ensine as crianças
Elas precisam ler
Crianças e lágrimas não combinam.