sábado, 15 de setembro de 2012

Na pele


Tenho andado no meio do nada
Embora no meio de tantos
Ando assim há muito...
Na superficialidade
Insensivo, passivo
Tenho tomado ansiolítico
No divã de mim mesmo
Confesso minha patologia
Estou muito superficial
Não percebe, não vejo...
Não sinto além da pele
Não queria ser assim
Queria sentir as pessoas
No meu mais profundo
Além da minha derme
Além da minha hipoderme
O remédio do mundo
Não tem me mudado
Sonho ser feliz....
De dentro para fora
Sem artificios
Das drogas e outros vicios
Alegria, só minha não me basta
Quero a sua
Quero não ser artificial
Quero me curar do superficial
Quero ir além da pele
Quero sentir com o coração
Fluir mais aos outros
Fluir mais compaixão
O que não quero, faço
O que sonho, não consigo
Me ajude!, me ajude!
Não quero pra mim
Não quero pra ti
Não quero fingir
Está em minha pele.