segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Um pouco


Há em nós um pouco do pó
O pó das galáxias, do infinito
Temos um pouco, vejo grãos
Temos pitadas de um muito
Da areia que já foi rocha
Temos o crepúsculo
Um pouco do dia, 
Um pouco da noite
O mesmo de nossa aurora
Temos um pouco da visão
Temos um pouco da cegueira
Um pouco do lobo,
Um pouco carneiro
Somos real, ilusão
Temos um pouco do saber
Um pouco de não saber nada
Temos um pouco da vida
Temos um pouco da morte
Apenas um pó do principio
Átomos, moléculas
No infinito um navegar...
Em  torno do sol
Dias de luzes, dias de sombras
Somos um pouco herói
Somos um pouco bandido
Somos um pouco do amor
Somos um pouco dos prazeres
Somos pouco em um viver
E vivemos muito pouco
Um grão de mostarda
Abstrato grão de fé
Aos poucos... O Eterno nos espera