sábado, 27 de abril de 2013

Fome


















Tenho fome da palavra
A palavra exata
Tenho buscado
Ela está no ar
Ela está na terra
Ela está no mar
Quero come-la
Ela e doce na boca
Amarga no ventre
Os dias são maus
Busco ver o bem
O mal está a porta
Absinto em meu peito
Tenho fome de encontra-la
Subirei as nuvens
No mais profundo da terra
No Abissal do oceano
A palavra exata
Pisada pelos homens
Maltratada pelos tolos
Desprezada pelos fortes
Ele e doce na boca
Ela e amarga no ventre
É preciso come-la
Ela aproxima
Ela nos afasta
Ela enxuga
Ela trás lágrimas
Doce na boca
Amarga no ventre
Não mais dores
Eis a palavra
Vida aos corações
A quem se fizer de menino